sábado , 24 junho 2017
Casa / Energia Renovável / Biocombustível / Usina SolarReserve produzirá Energia Elétrica com Sal Fundido

Usina SolarReserve produzirá Energia Elétrica com Sal Fundido

A energia solar pode ser a fonte de energia mais utilizada até agora, porém um grande dilena a ser resolvido para a produção de energia a noite ou em dias nublados precisa ser resolvido pois caso os dias sem sol o investimento neste tipo de tecnologia seria prejuízo na certa. Mas agora, um novo empreendimento chamado SolarReserve possui uma tecnologia que pretende mudar esses quadro pois eles serão capazes de gerar energia elétrica até a noite.

Ao contrário de outras centrais de energia solar a SolarReserve será capaz de produzir eletricidade durante a noite ou em condições atmosféricas adversas. O programa irá salvar e armazenar a energia solar captada no sal fundido, a nova usina solar irá produzir até 500 megawatts de potência de pico se comparável ao que uma usina de carvão regular não produzirá CO2 algum na atmosfera.

O conceito por trás da nova usina solar concentrada é muito semelhante à torre de energia solar de Sevilha, onde centenas de painéis solares refletem a luz do sol para aquecer a água no interior de uma torre, que mais tarde se evapora em vapor, que passa por série de turbinas para gerar eletricidade. No entanto, em vez de torre que utiliza  a água, o tanque da SolarReserve terá sal fundido e uma enorme variedade de espelhos que refletem a luz para a cisterna que será aquecida até aquecida 1.000 graus Fahrenheit. O líquido é então bombeado para um gerador de vapor que gira uma turbina para produzir eletricidade.

Devido à capacidade única do produto para armazenar a energia que capta, esse sistema irá funcionar como uma usina hidrelétrica convencional, mas com várias vantagens, pois  o sal é mais previsível do que as reservas de água, o fornecimento é inesgotável e gratuito, e o impacto ambiental é praticamente zero.”

A SolarReserve utilizará o sal derretido mais uma mistura de sódio e nitrato de potássio ao invés de vez de água ou óleo, permite que o calor a ser armazenado para uso quando o sol não está presente. Após vários estudos constatou-se que o sal derretido é o líquido mais eficiente quando se trata de transportar o calor do sol. O estudo indica, que o sal fundido é usado em sistemas de torre de energia solar porque é líquido e a pressão da atmosfera consegue  fornecer um eficiente meio de baixo custo para armazenar energia térmica, as temperaturas operacionais são compatíveis com as tecnologias de hoje já utilizadas nas turbinas a vapor, possui um grande diferencial. Ele não é inflamável, tornando seu transporte, manuseio e produção muito menos perigoso e não poluente.

Esperamos que este tecnologia seja logo divulgada vendida as nações pois aqui no Brasil o que não falta é Sol e Sal o ano inteiro. 😀

Via > Inhabitat

Sobre Fernando Goulart

Fernando Goulart
Fernando Goulart é um Empreendedor Web que escreve e presta consultoria sobre Sustentabilidade, Geração de Energia e Tecnologia Sustentável. Gosta muito de "desconstruir" ou "desmontar" coisas, possui muitas ferramentas, gosta de sorvete de flocos, aprecia cerveja escura adora um Projeto Caseiro.

3 Comentários

  1. Antonio Corrêa Carlos Filho

    Falando em armazenagem de energia solar, certa vez questionei um engenheiro da área sobre a possibilidade de armazenar energia térmica em forma de gêlo para posterior troca com a temperatura do meio ambiente à noite e na ausencia de sol, daí, ele disse que não seria economicamente viável por causa do baixo rendimento. Mas hoje em dia já li alguns textos que falam exatamente disto como forma de armazenar energia sendo dois tanques térmicos um com gelo e outro com água quente ou outro líquido para poder aumentar o diferencial de temperatura e fazer com que as máquinas térmicas tenham mais facilidade em converter o calor em trabalho e este gerar energia elétrica limpa sem problemas ambientais. Mas tudo isso daria muito certo se fosse produzidos kites individuais para residências e empresas para consumo in loco; mesmo interconectados á rede pública, para que em alguns momentos estivessem fornecendo o excesso e em outros comprando da rede ou seja permutando os créditos. Tem um projeto da OTEC no Hawai que utiliza conversão térmicas em baixas temperaturas com amônia para extrair energia das águas do mar, trocando entre águas da superfície e da profundidade e é realizado com diferenças de apenas uns 20 graus centígrados.

  2. Antonio Corrêa Carlos Filho

    Gostaria ainda de acrescentar ao comentário anterior que ao invés de construir estas torres ao lado das hidrelétricas poderia se aproveitar a própria área da superficie das águas das represas para colocar os espelhos em algo flutuante com controlador de foco por distribuição de água dentro dos flutuadores como contrapesos de direção dos focos dos espelhos.

  3. Antonio Corrêa Carlos Filho

    Estudo energia alternativa a algum tempo e uma aplicação que pode ser tão interessante como reserva de energia solar como a das torres com espelhos refletores que fervem água é implantá-las ao lado de hidrelétricas para rebombear água acima da coluna das represas para aumentar a reserva de águas para produção de energia; inclusive pode se também construir represas artificiais sem rios para armazenar água e recuperar a energia em um hidrelétrica artificial com um controle de fluxo médio entre os picos de produção e as necessidades de consumo. Bombas de água sem pistão podem ser utilizadas para elevam uma maior quantidade de água com menos desgastes e mais aproveitamento da pressão do vapor da água aquecida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

- -

Precisa de Ajuda?

 
Baixe os manuais que precisa:

Bomba de Água Manual,  

Aquecedor Solar Caseiro, 

e muito mais 

 

Obrigado,

 

 

 

Você receberá as instruções por email