O que é Ascite e Maneiras Naturais de Controlar os Sintomas

O que é Ascite e Maneiras Naturais de Controlar os Sintomas.

Ascite é o acúmulo excessivo de líquido (geralmente fluido seroso que é um líquido amarelo pálido e claro) que se acumula na cavidade abdominal (peritoneal).

Dependendo da quantidade de líquido, o indivíduo apresenta distensão abdominal, ou seja, sua barriga “cresce”, semelhante à maneira que a barriga de uma grávida aumenta de tamanho durante a gestação.

O líquido pode ter diversas origens: plasma sanguíneo, linfa, bile, suco pancreático e urina são apenas alguns exemplos do que pode ser encontrado na ascite.

Também conhecida popularmente pelo nome de barriga d’água.

O que é Ascite e Maneiras Naturais de Controlar os Sintomas
Embora existam diversas condições que podem causar, aproximadamente 75% dos pacientes com ascite possuem cirrose hepática.

Além disso, tem-se informação que cerca de 50% dos pacientes com cirrose desenvolverão ascite em 10 anos.

É considerada uma complicação frequente da doença hepática terminal, bem como outras condições de retenção de líquidos, incluindo efusões pleurais e edema periférico.

Leia Mais > Como Obter os Benefícios do Betacaroteno na Saúde

Ascite afeta significativamente em muito a qualidade de vida da pessoa.
Não existe cura, mas tratamentos convencionais e naturais para a ascite podem proporcionar a ajudar no alivio dos sintomas, incluindo dor e desconforto.

De um modo geral, a retenção de líquidos – incluindo ascite, edema periférico e derrame pleural – é a complicação mais frequente da doença hepática terminal.

O que é Ascite e Maneiras Naturais de Controlar os Sintomas

Tem-se informação que aproximadamente 15% dos casos, a ascite é causada por certos tipos de neoplasias malignas no trato gastrointestinal ou nos ovários, linfoma de Hodgkin, linfoma não-Hodgkin e carcinoma metastático na cavidade abdominal.

Relacionado também com menor freqüência com insuficiência cardíaca, tuberculose, pancreatite e até mesmo hipotireoidismo.

O líquido na cavidade abdominal se desenvolve quando a proteína vaza do fígado e do intestino. Se é apenas uma pequena coleção de fluidos ricos em proteínas, pode ser difícil de detectar.

No entanto, à medida que mais e mais fluidos vazam para o abdômen, podem ocorrer grandes inchaços, desconforto, falta de ar, perda de apetite e pressão nos pulmões.

Existem dois tipos principais de ascite: Descomplicada e Refratária.

Ascites Descomplicadas:

Nesse tipo, os fluidos não estão infectados. Este tipo é dividido em três níveis:

Grau 1: leve; um ultra-som é necessário para detectar fluidos

Grau 2: Moderado; distensão simétrica e inchaço do abdômen ocorre

Grau 3: Grave; distensão grande ou extrema do abdome ocorre

Ascite Refratária : 

Quando o acúmulo de fluidos não pode ser reduzido por uma alimentação pobre em sódio ou diuréticos, é considerado refratário, o que significa que um tratamento mais agressivo pode ser necessário.

Ascite pode ocorrer em crianças, onde está associado com distúrbios hepáticos, renais e cardíacos. Os sintomas são semelhantes aos encontrados em adultos e o tratamento é semelhante. 

Ascites Sinais e Sintomas

Sintomas Comuns de Ascite Incluem: 

  • Falta de ar
  • Ganho de peso rápido
  • Uma sensação de plenitude
  • Barriga grande se desenvolve rapidamente
  • Inchaço nos tornozelos e pernas
  • Indigestão
  • Vômito
  • Azia
  • Perda de apetite
  • Náusea
  • Hérnia
  • Distensão abdominal com desconforto leve a moderado
  • Distensão abdominal dolorosa
  • Icterícia
  • Perda de massa muscular
  • Febre

Causas e Fatores de Risco

Na grande maioria dos pacientes diagnosticados com ascite, 75% também apresentam cirrose. 

Os 25% restantes são divididos da seguinte forma: 

  • Malignidade: 15%

Freqüentemente ocorre no trato gastrointestinal, incluindo: carcinoma do estômago, cólon, pâncreas, câncer de fígado metastático, carcinoma hepatocelular.

Síndrome de Meigs (carcinoma do ovário); e linfoma de Hodgkin e não-Hodgkin l ymphoma carcinoma metastático e dentro da cavidade abdominal.

Especialmente para malignidades é o câncer de ovário

Como o câncer se espalha para o peritônio, o primeiro sintoma experimentado pode ser ascite.

Outras Causas Raras Incluem:

  • Insuficiência Cardíaca Congestiva: 3%por cento
  • Tuberculose: 2% por cento
  • Pancreatite : 1% por cento
  • Causas raras restantes: 4% por cento

Os 4% por cento restantes são de causas raras: síndrome nefrótica, hipotireoidismo, enteropatia perdedora de proteínas, hiperestimulação ovariana de procedimentos de fertilização in vitro, inflamação autoimune do fígado e inflamação do pâncreas ou da vesícula biliar.

A cirrose é a causa mais comum. Quando o fígado está danificado, o fluxo sangüíneo pelo fígado é bloqueado.

Isto provoca uma pressão aumentada na veia principal que é responsável pela administração de sangue dos órgãos digestivos para o fígado. Chamado de hipertensão portal.

Ascite ocorre quando a hipertensão portal se desenvolve porque os rins não conseguem se livrar de sódio suficiente através da micção.

Isso faz com que os fluidos se acumulem no abdômen.
Ascite está associada a uma taxa reduzida de sobrevivência para aqueles que vivem com cirrose.

Fatores de Risco Ascite

  • Consumo de álcool
  • Dieta baixa proteína
  • História da icterícia
  • hepatite B crônica ou hepatite C
  • Obesidade
  • Hipercolesterolemia
  • Diabetes tipo 2
  • Doença hepática gordurosa não alcoólica
  • Doença cardíaca
  • Certos tipos de câncer
  • Doenca renal

Tratamento

Antes do início do tratamento, é necessário um diagnóstico adequado. Se apenas pequenas quantidades de fluidos forem suspeitas, um ultra-som pode ser solicitado.

Outros testes podem ser necessários, incluindo testes de diagnóstico para paracentese, bem como ultra-sonografias adicionais para avaliar o fígado, pâncreas e gânglios linfáticos.

Com esses resultados, mais testes podem ser necessários, incluindo exames de imagem mais específicos para procurar por sinais de hipertensão portal.

Além disso, exames de sangue que medem a função hepática, eletrólitos e hemograma completo podem ser solicitados.

Leia Mais > Conheça Especiarias que podem Substituir o Sal

Uma vez diagnosticados, os pacientes precisam ser rastreados para o desenvolvimento de peritonite bacteriana espontânea, que ocorre em aproximadamente 15% dos pacientes diagnosticados com ascite e cirrose hepática.

Os testes procurarão a causa subjacente da ascite. Além de tratar a causa, uma dieta com restrição de sal é frequentemente empregada, assim como os diuréticos.

A paracentese terapêutica, um procedimento clínico em que uma agulha é inserida na cavidade peritoneal e o fluido é removido, pode proporcionar um alívio temporário.

A última opção de tratamento, para os casos mais avançados, é um transplante de fígado.

Para crianças diagnosticadas com ascite, a condição é tratada da mesma maneira:

  • Limitando sódio e líquidos
  • Prescrevendo diuréticos
  • Administrando albumina intravenosa
  • Inserindo shunts
  • Prescrição de antibióticos para prevenir a infecção
  • Transplante hepático

Em crianças, complicações apontadas são indicadas com ascite e podendo incluir atrasos no desenvolvimento, problemas respiratórios, desenvolvimento de fluidos e maus hábitos alimentares.

Maneiras Naturais para Administrar os Sintomas

Restrição de Sal

A restrição de sal está associada a um menor uso de diuréticos, medida mais rápida de ascite e menor tempo de internação para aqueles com ascite cirrótica, de acordo com um estudo randomizado de 1986 publicado no Gut. 

Metade dos participantes recebeu uma dieta com baixo teor de sódio de 21 mmol por dia e a outra metade foi irrestrita sobre a ingestão de sódio. Ambos os grupos receberam diuréticos.
Embora este seja um estudo mais antigo, o American College of Gastroenterology afirma: “O passo mais importante para tratar a ascite é reduzir estritamente o consumo de sal”,  colocando a restrição de sal no topo da lista.

Após uma dieta de pressão alta que deve ser rica em legumes frescos e frutas, proteínas e legumes magros, gorduras saudáveis, grãos integrais germinados e produtos lácteos orgânicos, juntamente com a limitação de qualquer excesso de sal na dieta pode ajudar a aliviar a retenção de líquidos.

Coma Pequenas Refeições

Geralmente o apetite diminui, o que é bastante comum devido a enfermidade, tente comer pequenas refeições de quatro a sete vezes por dia.

Pode ocorrer de alguns pessoas se beneficiarem obtendo proteínas de fontes vegetais, incluindo levedura nutricional, grãos antigos, vegetais, legumes e produtos lácteos, em vez de carne.

Evite toxinas e Produtos químicos

Coma alimentos orgânico sempre que possível, como quando o fígado está danificado e não funciona de forma ideal, ele não pode corretamente desintoxicar e limpar as toxinas do sangue.

À medida que se acumula, as toxinas podem se mover para o cérebro causando uma condição chamada encefalopatia hepática.

Beba Água de Coco

A água de coco. possui alto teor de potássio e outros eletrólitos, pode ajudá-lo a se manter perfeitamente hidratado, mesmo quando há restritção a líquidos.

Chá da Raiz de Dente-de-leão

De acordo com os resultados de um pequeno estudo piloto conduzido pelo Departamento de Medicina Herbal do Instituto de Tai Sophia, a ingestão de dente-de-leão aumenta significativamente a freqüência e o volume urinário, dentro de cinco horas da dose inicial.

Os pesquisadores incentivam mais estudos para estabelecer a eficácia e dosagem para uso de dente de leão como um diurético.

O chá de dente-de-leão possui potássio, vitaminas A, C e K e fornece uma dose saudável de minerais, incluindo cálcio, ferro e magnésio.

Se você por acaso tem em seu quintal, e não usa nenhum pesticidas, em suas plantas.

Você pode usar hastes frescas de dente-de-leão em suas saladas ou mesmo fazer um molho.

Aminoácidos de Cadeia Ramificada.

A suplementação de BCAA, promove a síntese de proteína muscular e tende a aumentar o crescimento muscular de alguns indivíduos.

Estes nutrientes essenciais são normalmente obtidos através da alimentação, consumindo carne, laticínios e legumes.

Pesquisas indicam que a suplementação de BCAA pode ser eficaz para melhorar a função cerebral relacionada à doença hepática, perda de massa muscular e outras condições relacionadas à ascite.

Se preferir, você pode aumentar sua ingestão de BCAA através da alimentação.

Comendo mais carne vermelha orgânicas, salmão selvagem do Alasca, queijo de capim cru, quinoa, sementes de abóbora e uma proteína de soro de leite de alta qualidade, que tem as maiores concentrações de leucina, um dos principais BCAAs para a saúde muscular.

Precauções

Ascite é a manifestação mais comum em pacientes cirróticos e está associada a uma taxa de sobrevivência reduzida.
A peritonite bacteriana espontânea (PBE) é uma infecção bacteriana aguda dos fluidos da cavidade abdominal e é considerada uma grave complicação da cirrose. Está associada a um mau prognóstico a longo prazo e a um alto risco de mortalidade. O choque séptico é uma preocupação séria e pode ocorrer em pacientes com cirrose alcoólica, insuficiência cardíaca, síndrome de Budd-Chiari ou como uma complicação de qualquer doença que cause ascite.

Aqueles com um diagnóstico de cirrose estável que subitamente desenvolvem sintomas de ascite devem ser examinados o mais cedo possível para o carcinoma hepatocelular.

Indivíduos com cirrose devem limitar os antiinflamatórios não-esteróides ( AINEs ), incluindo o ibuprofeno e outros, pois podem diminuir o fluxo sangüíneo e limitar a excreção de sal e água.

Compartilhe

Deixe seu Comentário