Engenheiros criam Processo de Extração de Eletricidade a Partir de Esgoto Sanitário

Ad Blocker Detectado

Nosso site precisar exibir anúncios on-line para nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar, desativando o seu bloqueador de anúncios.

Engenheiros  da Universidade de Oregon encontraram uma maneira eficiente de produzir mais electricidade a partir de esgoto sanitário (o seu famoso p2 :D). Em uma experiência recente,  pesquisadores conseguiram extrair cerca de 20 vezes mais electricidade a partir de esgoto bruto em comparação com as tentativas anteriores.

O processo é simples e a eletricidade é gerada a partir de bactérias encontradas no esgoto que formam uma fina película sobre nanopartículas de ouro em ânodos de grafite que em resultado emitem elétrons que decompõem os resíduos orgânicos.

[ad#dicas-verdes-meio-textp]

Estes elétrons fluem como uma corrente através do grafite formando uma corrente elétrica que pode ser extraída para diversas utilidades. Uma vez que o ouro é muito caro,  principalmente se falando em grande escala a utilização desta forma não seria viável economicamente. Portanto, os engenheiros  responsáveis estão agora procurando outro tipo de revestimento que seja equivalente ao ouro em termos de condutividade (assim como nanopartículas de metais como o ferro).

Esta nova tecnologia, tem um enorme potencial, pois ao invés de gastarmos recursos simplesmente limpando a água, boa parte desses recursos poderão ser recuperados simplesmente utilizando-se os dejetos constantes na água cinza gerando economia no processo de limpeza. Seria quase um processo perpétuo. Onde não há perda de energia.

Atualmente, cerca de 1,5% do custo de limpeza do tratamento da água destina-se a despesa com eletricidade. Essa tecnologia pioneira poderia reduzir significativamente o custo da limpeza da água, tornando água doce, muito mais barata e acessível a muitos países que já não  a possuem.

Via > Ecofriend

Deixe seu Comentário