sexta-feira , dezembro 6 2019
Home / TECH / 8 Coisas que você Precisa saber sobre Unidades de Estado Sólido (SSD) antes de comprar um!

8 Coisas que você Precisa saber sobre Unidades de Estado Sólido (SSD) antes de comprar um!

Lembro-me de quando entrei no curso de manutenção de PCs no ano de 2001. O manuseio e troca de HDs era coisa comum. Estes dispositivos são bem sensíveis e a troca era quase que corriqueira na loja em que eu trabalhava.

Usávamos principalmente unidades de disquete, de disco rígido, CD-ROM (Compact Disc Read Memory) e CDRW (Compact Disc-ReWritable). Nunca tivemos contato com Solid State Drives (SSD) e não me perguntam por que. Acho que a tenologia ainda era muito nova e a massa de pessoas ainda não acompanhava esta tendência.

8 Coisas que você Precisa saber sobre Unidades de Estado Sólido (SSD) antes de comprar um!

Rapidamente quando chegou 2004, entrei em desenvolvimento on-line e manutenção de hardware tornou-se uma coisa do passado.

Um SSD é um dispositivo de armazenamento de dados que funciona como uma unidade flash comum. O SSD oferece muitos benefícios aos proprietários de computadores, incluindo:

  • Tempo de inicialização reduzido
  • Documentos de abertura de tempo mais curtos
  • Lança aplicativos rapidamente
  • Acelere a duplicação e cópia de arquivos.

Mas antes de trocar seu velho e parrudo HD, aqui estão alguns pontos úteis que você precisa saber antes de trocar.

8 coisas a considerar antes de comprar o dispositivo de armazenamento SSD

Existem alguns fatores que você precisa considerar antes de comprar um SSD. No entanto, é importante notar que estes são apenas dicas que podem ser mudadas a qualquer momento pois a tecnologia muda diariamente e coisas novas surgem a cada dia.

# 1 – Capacidade de Condução

Como o HDD, os SSDs têm diferentes capacidades e é importante que você escolha aquele que atenda às suas necessidades individuais. Se você quer jogar e armazenar muitos dados, você deve optar por um SSD com alta capacidade de memória.

Mas se o único motivo é diminuir o tempo de inicialização no seu computador, é bom comprar um com pouca capacidade.

# 2 – Fabricante de condução

O fabricante é muito importante na escolha do SSD. Isso ocorre porque um fabricante respeitável tem mais chances de oferecer uma unidade que não só dura muito tempo, mas também apresenta um bom desempenho.

Portanto, recomenda-se evitar fabricantes desconhecidos ou produtos SSD não identificados. E, embora estes possam ser vendidos a um preço muito mais baixo em comparação com marcas de renome, estes produtos não têm qualidade e, além disso, não são garantidos.

# 3 – Suporte SATA 3

A maioria dos SSDs no mercado vem com uma conexão SATA. No entanto, muito poucos deles são compatíveis com SATA 3. SATA 3 é o mais recente na conexão SATA e vem com velocidade dupla de SATA 2.

Portanto, se você planeja transmitir dados a uma velocidade muito maior, é necessário optar por um SSD compatível com o SATA 3. No entanto, primeiro confirme se o seu computador é compatível com SATA 3.

Isso ocorre porque você não obtém os benefícios do SATA 3 se o computador não puder aceitá-lo inicialmente.

# 4 – Preço e Recursos

Como mencionado acima, muitos são desencorajados a comprar SSDs por causa de seus altos preços. No entanto, muitos fabricantes de SSDs no mercado vendem diferentes SSDs com funções diferentes e a preços variáveis.

Portanto, você deve visitar uma loja de acessórios de computador para ver os produtos SSD e os recursos que eles têm a oferecer.

# 5 – O tamanho do SSD

Antes de sair para comprar um SSD, é importante saber que tamanho significa muito. Portanto, você deve ser capaz de determinar a quantidade de dados que você está disposto a armazenar na unidade.

Você pode facilmente saber isso, olhando para os dados atuais que você tem no seu computador. Com isso, você terá certeza do tamanho do SSD que você vai comprar. Se você tiver uma grande quantidade de dados, considere comprar um SSD grande.

No entanto, é importante observar que a maioria dos SSDs no mercado vem com capacidades de disco bem variadas. A ideia aqui é obter o maior tamanho que você precisa e adicionar cerca de 20% para segurança. Com o tempo, o SSD identificará um bloco defeituoso e redistribuirá os dados para um outro bloco.

# 6 – Qualidade significa muito

Outro fator a considerar ao procurar um SSD é sua qualidade. Portanto, é importante garantir que seu SSD seja selecionado por um fabricante de renome.

A maioria não usa o computador há mais de 5 anos. Isso porque a tecnologia está melhorando continuamente e precisam executar aplicativos mais novos que exigem mais recursos do computador.

A qualidade do SSD será determinada pela forma como os padrões de desgaste aparecem no disco, bem como se o disco exibe um aviso antes de morrer.

# 7 – O tipo de memória flash

Ao comprar um SSD perfeito, é importante saber que o tipo de memória flash é importante. A maioria dos SSDs vem com memória do tipo NAND. NAND é feito em diferentes opções, incluindo:

  • O SLC (Single Level Cell) é o flash NAND mais rápido e vem com um total de 90.000 – 100.000 ciclos R / W antes da morte. Este tipo de memória tem 1 bit por célula.
  • TLC (Triple Level Cell) vem com o menor número de ciclos R / W entre 3.000 e 5.000 ciclos antes da falha. Esses SSDs também são os mais lentos do mercado.
  • MLC (Multi-Level Cells) tem uma velocidade média e pode suportar 8.000 – 10.000 R / W ciclos antes da falha. Eles são equipados com 2 bits por célula.
  • O eMLC (Enterprise Multi-Level Cells) é semelhante aos MLCs, mas é projetado para uso em servidores de dados. Custam mais do que MLCs e têm 20.000 – 30.000 ciclos R / W. Esses SSDs possuem 2 bits por célula.

# 8 – Exclusão de Dados “Segura”

Se a transferência segura de dados for importante para você, verifique com o fabricante para descobrir se eles oferecem o recurso. Excluir dados com segurança em um SSD não é o mesmo que em um disco rígido.

Os SSDs são difíceis e todos os dados neles podem ser facilmente recuperados, mesmo quando o computador é destruído. Ele não funciona como o HD normal com um disquinho que precisa ser lido.

Conclusão

Para acelerar o seu computador, você deve instalar um SSD. E para aproveitar ao máximo a sua unidade, você deve habilitar TRIM – um comando do sistema operacional que aciona sua unidade para excluir todos os dados indesejados. Por outro lado, os especialistas recomendam que você não deve desfragmentar o SSD nunca! Fique esperto

Via>Enstine Muk

Olha isso!

A Air Protein, startup de Berkeley, anunciou que produz proteínas "a partir do nada”Usando micróbios. A ciência e a engenharia continuam a produzir melhores análogos e carnes carne de laboratório. As proteínas que se alimentam de subprodutos oferecem uma maneira de diversificar a agricultura e aliviar a pressão ambiental. Uma startup em Berkeley, Califórnia, está criando um análogo de carne vegetariana do nada, relatórios a San Francisco Chronicle. O processo envolve alimentar o dióxido de carbono com microorganismos que processam o dióxido de carbono em proteínas. Em seu site, Proteína do Ar diz que sua inspiração veio da descoberta da NASA na década de 1960: "Esses organismos unicelulares naturais, especificamente chamados hidrogenotróficos, agem como plantas na conversão de dióxido de carbono em alimento". Em viagens espaciais, todos devemos nos tornar químicos. Os resultados concretos podem parecer super ficção científica, mas em um nível de partículas, são apenas elétrons e outras coisas que se movem e se recuperam. (Se algo é assustador sobre essa tecnologia, é como tudo no fundo é apenas pontos presos com manobras.) Os micróbios estão em um ambiente fechado com o controle de água e temperatura de que precisam, e o dióxido de carbono é canalizado. Os micróbios comem o hidrogênio no ar e crescer saudável e se reproduzir. Se você acha que isso soa como um Aqua Teen Hunger Force episódio, você não está sozinho. A marca Quorn entrou na água quente anos atrás, por apresentar um subproduto fúngico exótico como “à base de cogumelos”, que os consumidores consideravam uma mentira direta. Para a Air Protein, dizer que sua proteína de microrganismo é basicamente uma forma de ar parece uma direção incorreta semelhante. Mas a ciência enjoada à parte, uma fonte de proteína que provém de um subproduto de um sistema fechado é super valiosa. Um dos principais obstáculos enfrentados pela agricultura moderna é que devemos continuar aumentando a produtividade das terras aráveis ​​em todo o mundo, e nosso aumento de pressão e eficiência leva ao uso de pesticidas virulentos, lixiviação de nutrientes e outros fatores que podem afetar a viabilidade a longo prazo. da agricultura. Tendo maneiras de construir no topo da terra, como as fazendas verticais empilhadas do Japão, é um bom começo. Mas capturar “resíduos” para reciclar em alimentos viáveis ​​é uma maneira de reduzir as emissões e também reduzir a pressão sobre a agricultura como um todo, e muito menos em sistemas onde nenhuma agricultura é possível: Snowpiercer é um filme muito diferente em um mundo com alguns micróbios ou batatas de Matt Damon. A Air Protein não é a única empresa que transforma micróbios em análogos de carne. Quorn foi pioneiro, talvez, mas hoje existem cientistas tentando transformar micróbios em proteína animal real moléculas como parte do esforço geral para fazer a chamada "carne de laboratório", relata o Good Food Institute. O Instituto diz que esse tipo geral de tecnologia já é usada para produzir coalho vegetariano - o iniciador bacteriano que transforma leite em queijo, feito historicamente com partes de animais - e tratamentos com insulina que antes eram cultivados em animais vivos. O original San Francisco Chronicle O artigo inclui outra ideia interessante. “A NovoNutrients usa fermentação à base de gás, contando com uma variedade de micróbios, hidrogênio e dióxido de carbono para criar uma refeição rica em proteínas que a empresa planeja alimentar para pescar” os relatórios de papel. Isso é promissor por causa da quantidade restrita de alimentos que temos para alimentar os animais durante suas vidas truncadas. As alternativas à carne vegetariana exigem muito menos volume de matéria vegetal para produzir a mesma quantidade em comparação com a carne animal. Mas isso não significa que todos os tios teimosos de repente se tornem vegetarianos, e substituir a alimentação animal, como milho ou grão por uma fonte de alimento muito mais rápida e sustentável, é um bom passo. Via >Popular Mechanic

Carne Feita do Ar – Nova Carne foi Desenvolvida com Bactérias

Uma startup em Berkeley, Califórnia, está criando um análogo de carne vegetariana do nada, diz uma matéria do San Francisco Chronicle. O processo envolve alimentar com dióxido de carbono com microorganismos que processam o dióxido de carbono em proteínas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Oi, tudo bem?

Receba mais Notícicias legais!
Enviaremos todos os dias, as melhores Dicas Fresquinhas

Obrigado por nos acompanhar!