quarta-feira , janeiro 29 2020
Home / ECONOMIA / Jornada de trabalho de 24 horas semanais pode ser realidade na Finlândia

Jornada de trabalho de 24 horas semanais pode ser realidade na Finlândia

Sanna Marin parada ao lado de uma árvore com blusa azul
Sanna Marin, primeira-ministra da Finlândia (Wikimedia Commons)

SÃO PAULO – Enquanto trabalhadores do mundo inteiro sofrem para voltar para a rotina de trabalho após o recesso de fim de ano, os cidadãos da Finlândia podem ter um novo motivo para sorrir. Sanna Marin, primeira-ministra do país, defende que a jornada de trabalho obedeça um padrão de 4 dias por semana, 6 horas por dia. Segundo a líder política finlandesa, a ideia é um próximo passo para mudar como o trabalho é tratado no país.

No total, as mudanças geram um expediente de 24 horas de trabalho semanais, um regime muito diferente da tradicional rotina de 40 horas aplicada no Brasil e em muitos outros países do mundo.

“Eu acredito que as pessoas mereçam passar mais tempo com suas famílias e entes queridos, realizando seus hobbies e curtindo outros aspectos da vida. Esse pode ser o próximo passo para uma transformação de como vemos o trabalho por aqui”, disse Sanna em entrevista. A primeira-ministra não revelou maiores detalhes sobre a proposta ainda.

Desde que assumiu, em dezembro de 2019, e se tornou a pessoa mais jovem a alcançar o cargo de primeira-ministra no mundo, com apenas 34 anos, Sanna tem a agenda trabalhista como um dos principais pilares do mandato. Ela é presidente do Partido Social Democrata da Finlândia e lidera o governo de coalizão formado por cinco partidos do país, compostos majoritariamente por mulheres de centro-esquerda.

A Finlândia é conhecida pela flexibilização dos horários e jornadas de trabalho. Em 1996, o governo introduziu uma lei que dava permissão aos empregados para mudar seu turno, permitindo que os trabalhadores escolhessem entre entrar três horas antes ou depois do horário estipulado – uma grande conquista à época.

Inspiração na Suécia

No entanto, a Finlândia não é o único país a adotar esse tipo de postura em relação a questões laborais. Em 2015, a vizinha Suécia começou testes com a jornada diária de 6 horas diárias na cidade de Gotemburgo.

Após a mudança, estudos mostraram que o nível de felicidade dos cidadãos cresceu exponencialmente em poucas semanas, mas em contrapartida, o governo acabou gastando mais recursos públicos.

Fora dos países escandinavos, a França também tenta uma reestruturação dos seus horários laborais. O país reduziu a jornada de trabalho oficial do país para 35 horas semanais, 4 horas a menos que o modelo antigo.

Além de governos, certos núcleos empresarias também apoiam as mudanças no regime de horas trabalhadas ao redor mundo.

Em novembro de 2019, a Microsoft do Japão revelou um dado impressionante sobre o resultado da sua redução da jornada de trabalho. Segundo a empresa, a rotina de 4 dias de trabalho por semana aumentou a produtividade em 40%.

Faça seu dinheiro trabalhar para você. Abra sua conta na XP – é grátis

Fonte >Infomoney

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *