domingo , março 29 2020
Home / CIÊNCIA / Antiga placa de pedra revela origem da escrita Maia

Antiga placa de pedra revela origem da escrita Maia

Uma placa de pedra, esculpida e datada de cerca de 2.000 anos atrás, descoberta na Guatemala, fascina os pesquisadores que ainda tentam decifrá-la. Este monumento é um testemunho do desenvolvimento e da origem da escrita maia, uma civilização pré-colombiana que governou a Mesoamérica.

A placa de pedra foi descoberta em setembro de 2018 no sítio arqueológico Tak’alik Ab’aj, em El Asintal, 125 km a sudoeste da capital Guatemala.

Origem da escrita Maia

“A grande importância da Stele 87 é que ela é um exemplo precoce do desenvolvimento da escrita na Mesoamérica.”, explicou o epígrafo alemão Nikolai Grube, da Cidade do México, em uma videoconferência transmitida do Palácio Nacional da Cultura, na presença do presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei.

Embora não tenha sido possível chegar a uma “leitura linguística” dos personagens, o pesquisador explicou que a figura na placa de um líder com o seu nome e títulos destaca “um texto Maia primitivo”. Tak’alik Ab’aj era uma cidade habitada pelos Olmecs (1500 a.C. – 100 d.C.) e pelos Maias (800-300 a.C.). Os Olmecs desapareceram então e os Maias continuaram o seu desenvolvimento cultural. A arqueóloga guatemalteca Christa Schieber, coordenadora do sítio, acredita que Tak’alik Ab’aj atuou como um laboratório para escrever experimentos que mais tarde evoluíram.

Fragmento da placa de pedra descoberta no sítio arqueológico maia de Tak'alik Ab'aj, na Guatemala, revela origem da escrita Maia. (© Ministério da Cultura e Esportes da Guatemala , AFP)
Fragmento da estela descoberta no sítio arqueológico maia de Tak’alik Ab’aj, na Guatemala, revela origem da escrita Maia. (© Ministério da Cultura e Esportes da Guatemala , AFP)

Por volta de 2012, pesquisadores guatemaltecos anunciaram uma descoberta, em Tak’alik Ab’aj. A descoberta tratava-se do túmulo de um rei que poderia ter fomentado a transição cultural entre Olmecs e Mayas, entre 700 e 400 AEC. A civilização maia chegou ao seu apogeu durante o chamado período clássico (250-900 d.C.) na Mesoamérica, região que inclui o sul do México, Guatemala, El Salvador, Honduras e Belize.

O fim da civilização maia

Alguns teóricos modernos acreditam que a mudança climática foi a culpada e, em 2018, uma equipe de pesquisadores calculou as condições ambientais durante o declínio da cultura e confirmou essa hipótese em um artigo publicado na revista Science Magazine.

Os cientistas analisaram a água presa em um bloco de gesso, que encontraram no Lago Chichancanab. Eles mediram as variantes químicas da água remanescente no gesso. Os isótopos mais leves tendem a evaporar mais rapidamente, por isso o gesso deixado com isótopos mais pesados indica uma seca.

Em dezembro do ano passado, os arqueólogos descobriram um grande palácio que atribuem à elite maia enterrada em Kulubá, nas florestas do estado mexicano de Yucatán. Segundo o Instituto Nacional de Antropologia e História do México, a estrutura tem aproximadamente 50 metros de comprimento e 6 metros de altura. Acredita-se que a estrutura foi ocupada por volta de 600 a 900 AEC., quando a cultura Maia prosperou.

Fonte >Sociedade Científica

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *