domingo , março 29 2020
Home / ECONOMIA / o que é a Super Terça e por que ela é tão importante

o que é a Super Terça e por que ela é tão importante

SÃO PAULO – Nesta terça-feira (3) ocorre um dos dias mais tradicionais e importantes das eleições americanas, a chamada Super Terça. Apesar de já terem ocorrido primárias em quatro estados, desde o início os pré-candidatos concentraram seus esforços para este dia, que irá definir os futuros de cada campanha.

O evento ocorre tanto do lado democrata quanto republicano, mas como o atual presidente Donald Trump praticamente não tem nenhum desafiante dentro do seu partido e deve ser indicado para reeleição, as atenções se voltam apenas para a disputa democrata.

Em 2020 a corrida eleitoral está bastante fragmentada e, mesmo após as primárias de Iowa, New Hampshire, Nevada e Carolina do Sul, ainda restam cinco pré-candidatos democratas, incluindo o ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, que até agora não participou das votações.

O que é a Super Terça?

Este é um dia já tradicional no calendário eleitoral dos Estados Unidos, quando ocorre uma grande concentração de estados votando nas primárias no mesmo dia. Primárias é o nome que se dá à eleição interna de cada partido para definir qual será o seu único candidato na eleição geral de novembro.

Neste ano serão 14 estados em votação: Alabama, Arkansas, Califórnia, Colorado, Maine, Massachusetts, Minnesota, Carolina do Norte, Oklahoma, Tennessee, Texas, Utah, Vermont e Virginia.

Além disso, o território da Samoa Americana e os eleitores fora do país também irão às urnas.

Por que a Super Terça é importante?

Diversos fatores tornam este o dia mais importante das primárias. O primeiro é a quantidade de estados que estarão em votação, incluindo Califórnia e Texas, os dois maiores do país e com os maiores números de delegados, 494 e 261, respectivamente.

Por falar em delegados, apenas neste dia serão 1.357 em disputa, de um total de 4.750 em toda primária. Considerando que apenas 5% dos delegados já foram definidos, cerca de um terço dos delegados restantes serão definidos na terça, sendo que, para ser escolhido, um pré-candidato precisa conseguir 1.991 delegados.

Os estados da Super Terça também têm uma representatividade bem ampla da população dos EUA, não apenas em termos geográficos, mas também demográficos. Com isso, os resultados fornecerão uma imagem mais detalhada de quem apoia cada pré-candidato e quais podem ser suas chances de ganhar em nível nacional.

Historicamente, neste dia acontece uma definição maior do cenário: os pré-candidatos que vão mal tendem a decidir abandonar a campanha, enquanto se um pré-candidato se sai muito melhor que os outros, costuma ser o indicado do partido no futuro.

Neste ano em especial, mais um fator deve apimentar a disputa: a chegada de Michael Bloomberg. Até agora, o magnata ex-prefeito de Nova York não estava oficialmente nas cédulas e não podia contabilizar votos para si e nem ganhar delegados, mas isso muda nesta terça.

Ele já bateu recorde de gastos em campanha, em torno de US$ 400 milhões, mas sofreu bastante nos dois debates que participou (veja mais clicando aqui e aqui). Esta Super Terça será a prova de qual a força de sua campanha e se ele realmente tem chance de conseguir a vaga como candidato democrata.

Que horas saem os resultados?

Cada estado tem um fuso-horário diferente e um horário para fechar as urnas. O primeiro a encerrar será Vermont, às 21h no horário de Brasília, enquanto o último será a Califórnia (1 da manhã da quarta-feira).

Os resultados finais não têm hora para serem anunciados, mas a partir do fechamento da votação em Vermont começam a ser publicados os números prévios feitos pela imprensa americana, que tendem a já indicar os vencedores.

Portanto, a partir das 21h os primeiros números começam a sair, sendo que o balanço final da Super Terça só deve ser divulgado na manhã de quarta.

Quem está na disputa

Ainda existem cinco pré-candidatos democratas na disputa: o ex-vice-presidente Joe Biden, os senadores Bernie Sanders e Elizabeth Warren, o ex-prefeito Mike Bloomberg e a congressista do Havaí Tulsi Gabbard.

Warren e Sanders estão do lado progressista do partido, enquanto nomes como Biden e Bloomberg são considerados mais moderados.

O favorito ainda é Bernie Sanders, que começou as primárias derrapando, mas está na liderança e é apontado por pesquisas como o provável vencedor da Super Terça. Joe Biden, por sua vez, chegou a ser apontado como o favorito, mas teve um péssimo início de campanha. No fim de semana, porém, ao ganhar na Carolina do Sul, voltou a ganhar força e terá um dia decisivo para tentar ganhar a indicação do partido.

Bloomberg também passará pelo seu teste de fogo nesta terça-feira, com a chance de mostrar que seu alto investimento valeu a pena para seguir na corrida eleitoral. Dentre os pré-candidatos, tem menos chance de desistir mesmo se perder dado o gasto que já teve e a quantidade de recursos que tem para seguir tentando até o fim.

Os outros nomes não aparecem muito bem nas pesquisas e caso as projeções se comprovem, há uma grande chance de que anunciem a desistência da disputa, assim como aconteceu com Pete Buttigieg nos últimos dias que, após ter um início surpreendente nas primárias, sofreu duras derrotas em Nevada e Carolina do Sul, abandonando a campanha.

A senadora Amy Klobuchar foi a última a deixar a campanha, anunciando na segunda-feira à tarde. Segundo a agência Associated Press, ela agora passará a apoiar a candidatura de Joe Biden.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

Fonte >Infomoney

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *