quarta-feira , setembro 30 2020

Cicatrizes em tubarão podem ter sido causadas por lula gigante

Compartilhe

Uma violenta briga ocorreu no fundo do mar próximo ao Havaí, entre um tubarão galha branca e outro animal marinho misterioso,e isso ocasionou grandes cicatrizes no tubarão.

Sabemos, no entanto, que as cicatrizes foram causadas por algum animal com tentáculos, pelas marcas de sucção circulares, aproximadamente com o tamanho de bolas de golfes.

Um fotógrafo submarino chamado Deron Verbeck notou as marcas diferentes no tubarão e resolveu registrar. Quando foi analisar as fotos em um computador, notou que as marcas eram sucções.

Ele publicou as fotos no facebook, e o ecologista de tubarões Yannis Papastamatiou as viu. Conforme Verbeck diz ao NatGeo, o ecologista lhe disse: “tire essa coisa da internet! Ninguém nunca viu isso antes”.

Papastamatiou, da Universidade Internacional da Flórida, Miami, EUA, foi o autor principal de um estudo que analisa a imagem.

Como surgiram as cicatrizes?

No estudo, cientistas dizem que são poucos os animais da região capazes realizar tais cicatrizes, e são todas cefalópodes – o grupo a qual pertencem as lulas e polvos, por exemplo.

Apesar do conhecimento bastante generalista do acontecimento, os pesquisadores possuem um palpite. Eles acreditam que o animal que causou a marca é uma lula gigante (Architeuthis dux).

Lula gigante
As imagens capturadas pelo NHK e pelo Discovery Channel, tiradas em julho de 2012, mostra uma lula gigante no mar perto da ilha de Chichi. A lula foi vista a uma profundidade de 630 metros, usando um submersível em julho, cerca de 15 km a leste da ilha de Chichi, no norte do Oceano Pacífico.

Não sabemos muito sobre a ela porque ela vive em uma profundidade relativamente grande – cerca de 300 metros abaixo da superfície. Mas até onde sabemos, é um animal incrível.

A lula gigante é o segundo maior animal invertebrado conhecido na Terra, podendo atingir até 13 metros, e perdendo apenas para uma outra lula ainda maior, chamada de lula colossal.

Pelas marcas, eles estimam que a lula em questão tem cerca de 8 metros, enquanto o tubarão possuía apenas cerca de dois. O tubarão galha branca pode alcançar no máximo 4 metros de comprimento.

É a primeira evidência de um tubarão interagindo com uma lula gigante, pela diferença de profundidade de habitação. Anteriormente, já havíamos visto batalha dessa lula com cachalotes.

Essas brigas são comuns?

Por ela habitar uma distância mais profunda, o tubarão foi bastante azarado. Tubarões vão para profundezas apenas para rápidas caças, e esse por acaso topou com ela.

Ou, simplesmente, pode ser uma coisa normal no ecossistema, e não conhecemos esse tipo de relação marinha, já que conhecemos muito pouco o oceano.

Lulas menores fazem parte da dieta de tubarões. Então, pode ser possível que o tubarão tenha atacado a lula antes, tentando se alimentar dela. Ela ter iniciado a briga é pouco provável.

“O que mais me entristece é que nunca conseguiremos ver o que aconteceu”, disse Papastamatiou ao NatGeo. Segundo ele, inferir o que exatamente aconteceu é extremamente difícil.

O estudo foi publicado no periódico Journal of Fish Biology

A ciência está perdendo a batalha contra a desinformação e o obscurantismo. O jornalismo e a divulgação científica independentes dependem de você. Colabore doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/socientifica

Fonte >Sociedade Científica

Deixe uma resposta