sábado , outubro 31 2020

Hapvida fecha compra de Grupo Santa Filomena por R$ 45 milhões e amplia atuação em São Paulo – Money Times

Compartilhe

Santa Filomena-Hapvida
O Hospital Santa Filomena possui atualmente 73 leitos, sendo 16 leitos de UTI (Imagem: Santa Filomena/Divulgação)

A Hapvida (HAPV3) assinou um memorando de entendimentos para a compra do Grupo Santa Filomena por R$ 45 milhões, mostra fato relevante enviado ao mercado nesta segunda-feira (28).

O Grupo Santa Filomena é composto pela operadora de saúde Filosanitas, do Hospital Santa Filomena, três clínicas médicas e um centro de diagnóstico por imagem, todos localizados no município de Rio Claro, interior de São Paulo.

A Filosanitas conta com uma carteira de cerca de 5,5 mil beneficiários de planos de saúde concentrados na região de Rio Claro, cuja carteira é majoritariamente composta de planos coletivos (74%) e sinistralidade de cerca de 80% (2019).

Já o Hospital Santa Filomena, fundado em 1937, possui atualmente 73 leitos, sendo 16 leitos de UTI.

“A aquisição do Grupo Santa Filomena é mais um passo importante na estratégia de crescimento e ganho de market share no estado de São Paulo, ampliando o potencial de crescimento verticalizado na região, reforçando cada vez mais o compromisso com a criação de valor para os acionistas”, informa.

Expansão no interior de São Paulo

Ainda de acordo com a empresa, a transação é sinérgica do ponto de vista geográfico e operacional, uma vez que a cidade de Rio Claro fica localizada a 160 km de Ribeirão Preto e a apenas 35 km de Limeira, sede da Medical, empresa recém adquirida pela companhia.

Dentre os planos de expansão orgânica no estado de São Paulo estão previstas novas estruturas assistenciais incluindo três hospitais, sendo um em Barretos, um em Bauru e um em São Carlos, além de prontos atendimentos, clínicas e unidades de diagnóstico, todos com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2021.

“Com isso, a companhia terá uma infraestrutura sólida na região que permitirá implementar seu modelo de negócio verticalizado possibilitando o acesso da população local a uma saúde de qualidade”, afirmou.

Veja o documento:

Fonte >Money Times

Deixe uma resposta