quarta-feira , dezembro 2 2020

Petrobras pode resistir à 2° onda da Covid-19 com caixa robusto virando dividendos – Money Times

Compartilhe

Petrobras
A petroleira deve resistir até mesmo aos cenários de agravamento da 2° onda de contaminação pela Covid-19 (Imagem: Reuters/Paulo Whitaker)

Apesar do prejuízo reportado no balanço do terceiro trimestre, a Petrobras (PETR3; PETR4) pode despertar o interesse do investidor por outro gatilho, igualmente atrativo: dividendos.

A Ágora Investimentos já abre sua análise sobre a estatal falando justamente: o que se fará com toda essa geração de caixa? O que animou os analistas foram os R$ 33,4 bilhões de ebitda, importante referência de geração de caixa.

“Além de resultados sólidos e mais recuperação de capital de giro, a recente revisão da Petrobras em seu portfólio de investimentos também começou a contribuir para a geração de caixa”, destacam os analistas Ricardo França e Vicente Falanga, da casa de análises.

A BB Investimentos também assina em baixo que o trimestre apresentou bons dados operacionais e um resultado financeiro melhor do que o esperado, com excelente geração de caixa da Petrobras.

“O novo preço-alvo considera a recuperação do petróleo tipo Brent ocorrida desde abril, com a retomada para níveis acima de US$ 40 por barril. Entretanto, nos últimos dias, o petróleo vem enfrentando fortes quedas, chegando hoje à mínima dos últimos quatro meses”, adverte o analista da corretora Daniel Cobucci.

Com uma posição mais contida para a valorização das ações da petroleira, o time de research do UBS ainda assim vê como positiva a atualização da política de dividendos da estatal, que pagará aos seus acionistas mesmo diante de perdas contábeis.

Em suma, a petroleira deve resistir até mesmo aos cenários de agravamento da 2° onda de contaminação pela Covid-19, que neste momento assola países da Europa.

Acompanhe na tabela abaixo o grau de apostas em relação às ações preferenciais da Petrobras:

Fonte >Money Times

Deixe uma resposta